oncontextmenu='return false' onselectstart='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

11 novembro 2014

12

Pé Torto Congênito (PTC)



Olá meus amores, tudo bem?


Hoje falaremos sobre Pé Torto Congênito (PTC).


O Pé Torto Congênito equinovaro (PTC) caracteriza-se por equinismo (flexão plantar) e varismo (supinação com a face plantar do pé voltada para a linha mediana do corpo).

PTC

É uma deformidade complexa que envolve ossos, músculos, tendões e vasos sanguíneos, apresentada pelo recém-nascido no momento do nascimento. 

O pé é geralmente pequeno, com calcanhar elevado, o pé voltado para dentro e rodado para cima.

A causa do Pé Torto não é exatamente bem esclarecida pelos médicos. 

Sabemos que o problema é mais comum em determinadas famílias. 

A incidência de crianças nascidas com pé torto é de 1 entre 1000 nascimentos. 

A chance de se ter um segundo filho com mesmo problema é de 1 em 30. 

Os pais se sentem inicialmente culpados pela deformidade que a criança apresenta nos pés ao nascer. 

O PTC não foi causado por nada que os pais tenham feito ou deixado de fazer durante a gestação materna.

Existem várias teorias para explicar o aparecimento do PTC.

Por isso os pais não devem se sentir culpados pelo problema que a criança apresenta ao nascer.

Algumas vezes o diagnóstico do PTC é feito nos exames pré-natais. 

Quando isso ocorre o tratamento é iniciado antes do nascimento, com a orientação dos pais. Logo após o nascimento, é iniciado o tratamento com manipulação manual dos pés e trocas de gesso periódicas visando a correção da deformidade. 
A maioria dos casos é corrigido antes do terceiro mês de vida. 
O ideal é que o pé esteja totalmente corrigido antes de iniciar a fase de andar.

PTC

O Tratamento deve ser iniciado no primeiro dia de vida com a aplicação de aparelhos gessados. Se o tratamento gessado não ter eficácia é recomendado métodos cirúrgicos para correção.

Após a correção a deformidade pode reaparecer. Para prevenir esse acontecimento, na retirada do último gesso, recomenda-se usar uma órtese em tempo integral por três meses e depois apenas à noite pelo período de 2 a 4 anos. A órtese consiste de uma barra de ferro anexada a botas. Uma tira de couro deve ser colada acima do calcanhar para impedir que os pés escorreguem. 

PTC

A criança pode ficar desconfortável no começo, mas logo aprende a mexer as pernas juntas e se acostuma com a nova condição.

A evolução do PTC tem uma característica interessante. Há casos que evoluem espontaneamente para a cura completa.

A criança que é tratada corretamente, apresenta ótimos resultados funcionais, próximos da normalidade. Mas alguns estigmas da doença vão persistir mesmo após o tratamento.

O tamanho final do pé de uma criança com Pé Torto é sempre menor que um pé normal, assim como a panturrilha apresenta também um menor diâmetro.

A boa notícia é que as crianças tratadas não terão dificuldades para participar de atividades físicas regulares no futuro.



É isso amores, espero que todas as informações lhe sejam úteis.


Gostaria de convidar as leitoras para participar deste quadro, enviando sua dúvida ou tema que queira que seja abordado aqui.

Basta enviar um e-mail para prioridadedemae@gmail.com com o 
Assunto: Saúde Materno Infantil.



                                                       Grande Beijo, meu e das pequenas.



12 comentários :

  1. O seu post foi bem informativo
    E vai ajudar muitas mães
    Bjs
    Blog Inspiração Materna

    ResponderExcluir
  2. Adorei conhecer o seu blog, parabéns!
    http://ofantasticomundodairis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Triste, antigamente se usava muita botinha ortopédica.
    Minha mãe falou que qdo era pequena dormia até de botinha. E naquela época eram bem pesadinhas.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Eu já cuidei de um menino que nasceu com os pezinhos tortos, dava uma dó enorme, mas eu acompanhei todo o processo pois ele veio a mim com 1 mês para eu começar a cuidar hoje ele é um rapaz de 16 anos lindo e perfeito.

    ResponderExcluir
  5. Nunca presenciei uma criança que tenha um pé torto, mas realmente deve ser ruim.

    ResponderExcluir
  6. Tem gente que diz que a criança nasce com o pé torto porque o espaço do útero da mãe é pequeno! Daí a causa! Vai saber, né! Gostaria de saber sobre olhos vesgos em crianças e os tratamentos. Sei que tem o tapa-olho para correção! Não sei se procede! Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Ótimo o post, dicas preciosas para as mamães que estão passando por isso com seus filhos.

    ResponderExcluir
  8. Que triste! Ainda bem que tem tratamento e quase nao terao sequelas.

    ResponderExcluir
  9. Que bom saber que alguns casos podem ser vistos no pré-natal,agilizando no tratamento após o nascimento .Esse post é muito interessante para a informação das gestantes.Parabéns pela iniciativa!!BJSS

    ResponderExcluir
  10. ai que dó das crianças...ainda bem que são pequenininhas e quando crescem nao se lembra dessa batalha...éhorrivel ficar com gesso e deve ser pior ainda ficar com um ferro deixando os pés retos...que dó

    ResponderExcluir
  11. Gostei,muito,da parte q fala q os pais n devem se sentir culpado..pq eu tva me sentindo culpada,parabens pelo seu blog...

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, porque eu adoro! :)

Grande Beijo, meu e das pequenas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Layout: Prioridade de Mãe/ Designer: Acessórios e Personalizações de Blogs Tecnologia do Blogger | Todos os direitos reservados ©2013