oncontextmenu='return false' onselectstart='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

23 maio 2016

1

Guia das Doenças infantis comuns no frio e como preveni-las


Oi oi Mammys, tudo bem?

Atire a primeira pedra quem nunca ouviu da mãe ou da avó a frase “Coloca a blusa para não pegar friagem” ou então “Põe uma meia nesse pé descalço”. Você com certeza já obedeceu muitas vezes e agora cuida do seu filho com as mesmas lições aprendidas todas as vezes que a temperatura dos termômetros diminui. O que você não sabia é a exposição das crianças às baixas temperaturas não está diretamente relacionada a doenças. Se fosse assim, como explicar as crianças que vivem saudáveis nos lugares mais gelados do planeta, como as suecas ou as esquimós?


Deixe seu filho protegido até as temperaturas aumentarem e tenha um inverno livre de doenças.


O que deixa os pequenos doentes é o contato com vírus e bactérias que se proliferam facilmente no clima frio e seco, principalmente em ambientes fechados. O período de inverno implica no aumento da incidência de doenças respiratórias e infecções nas crianças, pois o mecanismo de defesa do corpo ainda está em fase de desenvolvimento e não conta com anticorpos em número suficiente para combater os invasores. Os casos são comuns, especialmente quando acontece uma queda brusca de temperatura, mas podem ser contornados sem preocupação, pois todos os pais passam por isso.

A seguir, saiba quais são as doenças comuns no frio que podem ser as vilãs do inverno dos seus filhos:

Gripe e Resfriado

As duas doenças lideram o ranking de incidência na infância. Segundo especialistas, é comum que as crianças tenham entre 8 e 12 casos dessas enfermidades durante o ano. É praticamente uma ocorrência por mês! A diferença entre a gripe e o resfriado é que a primeira é mais grave, causada pelo vírus Influenza, que possui a capacidade de mudar suas características biológicas, dificultando o combate do organismo. Já o resfriado pode ser causado por diversos tipos de vírus. Os sintomas são parecidos, mas cuidado, pois a gripe é muito mais intensa e persistente. Entre eles, estão a tosse, a dor de garganta e a secreção nasal. Nos dois casos também pode haver febre, mas se estiver alta e acompanhada de fraqueza e calafrios, é provável que seja gripe e seu filho vai precisar de medicação adequada. No caso de um resfriado, o médico pode receitar remédios que aliviam os sintomas, mas o corpo humano é capaz de enfrentar sozinho esse incômodo.

Alergias

Segundo estatísticas do International Study of Asthma and Allergies in Childhood, o número de crianças alérgicas tem aumentado. A asma e a rinite são as mais comuns, e, além dos fatores ambientais como poluição e ingestão de agrotóxicos, a genética é responsável pela doença, já que filhos de pais alérgicos têm 50% de chances de também desenvolver alergias. Enquanto a asma é uma inflamação das vias respiratórias, a rinite é a inflamação da mucosa nasal em reação ao contato com o fator que provoca a alergia. Entre os sintomas, estão o entupimento do nariz e espirros no caso da rinite e falta de ar, tosse e pressão no peito para a asma. Ambas as doenças podem se agravar nas crianças que estão gripadas ou resfriadas e não têm cura, por isso, é necessário tratamento constante para que seu filho não desenvolva um quadro preocupante na estação.

Otite

De 0 a 3 anos, é comum que as crianças enfrentem a doença, pois, de acordo com estudos, 60% dos casos de resfriado em bebês de 6 a 12 meses podem se transformar na otite média, infecção que ocorre no ouvido. Nas crianças que ainda não sabem falar, é difícil perceber os sintomas, que são internos, mas a mudança de comportamento pode ser um indício de que algo não vai bem. Alimentar-se e deitar para dormir podem ser movimentos dolorosos devido a pressão que o pus faz no ouvido. Além disso, é preciso ficar atento aos ouvidos das crianças: mau cheiro, sensação de ouvido tampado e dificuldade auditiva com ou sem febre podem ser sinais de uma infecção. O tratamento é feito com antibióticos e métodos caseiros, usando a boa e velha bolsa de água quente para aliviar o desconforto.
 

Meningite

É a mais grave de todas as doenças que surgem no inverno, e, se não for devidamente tratada, pode ser fatal. De acordo com o Ministério da Saúde, os casos letais diminuíram nos últimos anos. Já existe vacina para a prevenção da doença para as crianças, ação que ajuda a erradicar a meningite. Diversos micro-organismos podem inflamar as meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, mas sua forma mais perigosa é a bacteriana, principalmente a bactéria meningococo, disseminada pelas vias respiratórias. Os sintomas podem ser confundidos com uma gripe, com febre alta, fraqueza e dor de cabeça. Entretanto, o paciente apresenta também vômito, rigidez na nuca e alterações no sistema nervoso central. A doença é confirmada com uma punção lombar e precisa ser rapidamente tratada com antibióticos para evitar sequelas.

Proteja seu filho das doenças comuns no inverno


As dicas para prevenir enfermidades enquanto as temperaturas não sobem são simples, bem parecidas com as de antigamente. Se você começar a adotá-las desde já, as crianças poderão se manter saudáveis durante todo o período de inverno.

1. Evite locais fechados

Em ambientes fechados, os micro-organismos nocivos têm mais chances para se desenvolver e encontrar seu alvo. Por isso, mesmo com frio e vento, é preciso deixar o ar entrar em casa e caprichar na limpeza, com troca de lençóis frequentes.

2. Fuja das aglomerações

A possibilidade de haver uma pessoa doente em um grande grupo de pessoas é alta e, se o local for fechado, a disseminação é certa! Até mesmo a escola pode ser um perigo para o seu filho, pois os pais costumam enviar mesmo as crianças resfriadas para a aula.

3. Oriente seu filho sobre a higienização

Sobre a importância de lavar as mãos, as avós estavam certas! Manter as mãos limpas evita que a criança fique exposta ou exponha outras pessoas aos micro-organismos que podem causar doenças. Lembrando também de manter os brinquedos infantis limpinhos para o pequeno brincar sem ter maiores problemas. Portanto, leve sempre na bolsa de bebê o seu álcool em gel para facilitar a limpeza da mãozinha do pequeno em qualquer situação.

4. Alimentação equilibrada

Se você ainda estiver amamentando, continue, pois o bebê fica com o sistema imunológico cada vez mais fortalecido. Agora, se o seu filho já está se ingerindo comidas sólidas, oferecer alimentos frescos que contêm vitaminas e antioxidantes é uma ótima opção, além de muita água para hidratação.

5. Vacinação em dia

As vacinas são seguras e distribuídas gratuitamente nos postos de saúde, prevenindo diversas doenças típicas do inverno, como a gripe e a meningite.


Espero que tenham gostado.

Grande Beijo, meu e das pequenas.

19 maio 2016

0

Crianças X Otite


Oi oi Mammys, tudo bem?

Otite é uma palavra muito ouvida pelas mães. A Otite nada mais é do que uma infecção no ouvido que atinge e acompanha as crianças desde os primeiros meses de vida. Estima-se que atualmente quase 20% de todas as crianças no mundo que tem até 4 anos tiveram um caso de otite uma vez por ano. Todo cuidado com a otite é necessário já que ela é a principal causa da perda da audição entre as crianças. Mas não se assuste tratada corretamente a criança não sofrerá nenhum dano.

Pelo fato de trazer problemas mais graves é que os pais precisam sempre ficar atentos aos sintomas da otite.


A otite externa é causada por fungos e bactérias. Esse tipo de infecção aparece mais no verão quando as crianças ficam muito tempo na piscina ou no mar ou até mesmo pelo excesso de umidade que fica na orelha do bebê. Esse excesso de umidade é o local ideal para a proliferação dos fungos e das bactérias. A natação, mesmo que nos bebês também é a principal causa da otite externa. Outra causa da otite são os objetos que as crianças teimam em colocar no ouvido; desde as hastes de algodão, grampos ou qualquer outro objeto pode causar dano no ouvido interno e consequentemente uma inflamação. Você como mãe deve ficar atenta e se lembrar que cera não é sujeira e sim proteção natural do ouvido, ou seja, só o médico pode fazer a limpeza do ouvido do seu filho. Se quiser limpar em casa, use um pano macio enrolado no dedo e o passe na parte de fora da orelha. A otite externa não apresenta febre, mas dói quando a criança encosta o ouvido em algum local ou alguém o toca e também apresenta coceira, vermelhidão, inchaço, secreção e perda de audição.

Mas a otite mais comum nas crianças é a otite média. Sempre aparece mais no inverno, acontece durante ou após gripes ou resfriados, alergias e infecções que acontecem na garganta ou nas vias respiratórias. As bactérias ou vírus se alojam na tuba auditiva e causam o acumulo de secreção, provocando a inflamação, que se não for tratada pode resultar em perda total da audição.


A causa mais comum da otite média é a mamadeira, já que as crianças mamam deitadas e o leite acaba chegando até a tuba auditiva e causando a inflamação. Lembre-se que a tuba auditiva liga o ouvido a garganta e ao nariz, por isso quando deitado o leite da mamadeira chega com mais facilidade ao canal e acaba se alojando por ali mesmo.


Portanto, nunca deixe o bebê mamando deitado, deixe a cabeça dele pelo menos um pouco mais alta que o corpo para que isso não aconteça. No banho evite deixar entrar água nos ouvidos do bebé, na piscina ou praia utilize protetor auricular e não deixe que ele fique muito tempo dentro da água.

Lembre-se também de nunca dar ou colocar medicamentos sem o conhecimento do pediatra, somente um médico pode diagnosticar a otite e receitar remédios caso seja necessário. Qualquer dúvida procure um médico Otorrinolaringologista. 




       

Luana Viola da Cruz
Fonoaudióloga
CRFa 3.10316
Contato: (47) 9659-7308
E-mail: luana_viola@hotmail.com


17 maio 2016

0

Alimentos saudáveis em festas infantis. É possível?


Oi oi Mammys, tudo bem?
Nem toda festa de criança precisa ser recheada apenas por guloseimas. Elas são deliciosas, mas, quando consumidas em excesso, fazem um mal danado à saúde. Apesar de fazerem muito sucesso entre as crianças e os adultos, os tipos tradicionais consumidos em festas infantis são geralmente ricos em calorias e pobres em nutrientes e vitaminas. Por isso, hoje em dia, muitas famílias já estão em busca de novos itens para compor cardápios mais saudáveis para as comemorações. Afinal, é possível, sim, oferecer comidas saborosas que trazem benefícios ao desenvolvimento da criança.

Substituir os doces e salgados por sanduíches e outros alimentos naturais podem ser uma boa alternativa para agradar o paladar dos pequenos sem prejudicar a saúde.


A primeira providência é eliminar a gordura substituindo frituras por salgados assados. Além da esfiha e empada, pastéis, quibes, folhados e mini calzones podem ser servidos sem medo. Apostar no cardápio com uma linha mais fit com cookies de farinha de banana verde, muffin de laranja com amêndoa, muffin de queijo, hambúrguer de quinoa, tapioca, milho cozido e pão de queijo caseiro também é uma boa saída. Outra dica é utilizar pães com fibras como aveia e cenoura para preparar os sanduíches ou cachorros-quentes servidos na festa. Para festas mais longas, vale apostar em pratos como refogados, purês ou escondidinhos, servidos em mini panelas.

 

Ao invés dos doces tradicionais, a mesa pode receber itens como gelatina caseira, iogurte, bolacha de maizena recheada e doce de frutas. “Uma alternativa sempre muito válida são as frutas, tanto natural quanto na forma de picolés e em espetinhos. É delicioso e as crianças adoram”, conta Adriana Perylo, da Perylampo Festas. A sugestão para conquistar os pequenos é fazer carinhas ou cortá-las com formas divertidas. Outra opção de lanches com frutas é banhá-las no chocolate. Há também como fazer uma maça do amor substituindo a calda de açúcar e corante por castanhas, nozes e iogurte.

 

       

Para quem não abre mão do brigadeiro, uma alternativa interessante é fazer brigadeiro de frutas. A ideia é a mesma da surpresa de uva, mas com cobertura de chocolate e granulado. No bolo, ponto principal da festa, a dica é a mesma: fugir dos tradicionais e escolher recheios com frutas ou verduras, como morango, cereja e cenoura, por exemplo, com cobertura da preferência do aniversariante. “Fica saboroso e nutritivo”, completa Adriana.




No quesito bebidas, nada de refrigerante. O ideal é utilizar sucos naturais da fruta e água saborizada (jarra de água com rodelas de limão ou laranja).

Espero que tenham gostado das dicas.

Grande Beijo, meu e das pequenas.

16 maio 2016

1

OLHA QUEM ESTÁ FALANDO: 9 Filmes com bebês que você precisa assistir

Oi oi Mammys, tudo bem? O cinema com certeza imita a vida, até mesmo na hora de colocar os bebês em cena. Existem filmes com os pequenos de vários gêneros, para rir, para chorar e para refletir. Eles também estão disponíveis em formato real de documentário ou animações com animais no lugar de seres humanos. Em todos eles, as mamães conseguem se identificar na situação de muitos dos personagens em diferentes fases da maternidade.

Você não precisa sair de casa para ver filmes em que a estrela é o bebê.

Se você ainda está esperando, se o seu bebê está no cochilo da tarde ou se os seus filhos já cresceram um pouquinho e gostam de assistir filmes do seu lado, confira 9 títulos que não só as mamães, mas também os papais, precisam assistir:

RENASCIMENTO DO PARTO – O DOCUMENTÁRIO

O parto é um momento emocionante e uma experiência que marca a entrada da mulher na etapa da maternidade. No entanto, a realidade obstétrica no Brasil parece desumanizar o nascimento e o documentário feito por um casal brasiliense traz um alerta para o alto número de cesarianas ou de partos com intervenções desnecessárias e traumáticas para a mãe e o bebê, gerando consequências psicológicas, sociais e financeiras.


JUNO Uma história fictícia, mas que acontece com milhares de mulheres: a adolescente grávida do melhor amigo precisa pensar no futuro da criança e no seu próprio, a partir de um resultado positivo do teste de farmácia. Na história, entregar o filho para adoção de uma forma bastante improvável é a melhor saída para Juno, que encontra apoio na família e nos amigos, diferente de muitos casos reais. O filme é delicado e reforça a ideia de que são necessárias três estações do ano para a gestação de um bebê.



SE EU FOSSE VOCÊ 2


O longa brasileiro com Glória Pires e Tony Ramos inclui, em sua segunda versão, uma gravidez inesperada, mas quem vai passar por ela, dessa vez, é justamente o marido, que, como mágica, trocou de corpo com a esposa. A comédia mostra como o homem passa por todas as nuances da gestação e ainda lida com a esposa e a filha mais velha, que também está esperando um bebê, tudo isso no sexo oposto!


OLHA QUEM ESTÁ FALANDO O clássico é de 1989 e conta com John Travolta no elenco. Mollie engravida de um homem comprometido com outra mulher e quando o pequeno Mikey nasce, acaba sendo abandonada com a criança. Ela tenta então, encontrar o pai perfeito para o seu filho, e o taxista que ajudou no parto parece ser um bom partido. O filme é bem humorado graças aos comentários sarcásticos do bebê, mas as circunstâncias são sentidas na pele sem tanta alegria por muitas mulheres. O filme deu continuidade para uma trilogia, com Olha quem está falando também e Olha quem está falando agora.



JUNTOS PELO ACASO Um homem e uma mulher que se detestam desde a tentativa do primeiro encontro acabam tendo que se juntar para cuidar da pequena Sophie após a trágica morte de seus pais. Entre os encontros e desencontros amorosos típicos das comédias românticas, os dois precisam adaptar suas vidas com os cuidados do bebê, além de correrem atrás dos seus sonhos, sempre com Sophie a tiracolo. O filme mostra situações engraçadas provocadas pela pequena, como uma confusão em um importante jogo de basquete, além de deixar claro o esforço necessário para que o bem-estar da criança esteja em primeiro lugar.

LIGEIRAMENTE GRÁVIDOS
A linda apresentadora de TV passa uma noite com o gordinho e fracassado depois de beber demais numa balada e deixar a camisinha de lado. O encontro destes dois poderia acabar por aí, mas ela descobre que está esperando um filho dele e decide seguir em frente com a gravidez e, ainda, dar uma chance a este impensável relacionamento. Com personagens espontâneos, os jovens desconhecidos e despreparados enfrentam juntos uma gravidez indesejada, que causa dúvidas sobre a relação, o papel como pai e mãe e seus próprios exemplos familiares.



VIZINHOS

Um jovem casal acaba de ter o primeiro filho e escolhe o bairro ideal para criar a criança. O que parecia um sonho acaba se tornando um pesadelo, pois os vizinhos são estudantes barulhentos que formam uma república masculina liderada pelo galã Zac Efron na casa ao lado. De lar perfeito a campo de batalhas, os vizinhos entram em guerra: de um lado festas, bebidas e drogas e do outro estresse, mamadeiras e choro.

PROCURANDO NEMO A animação do peixinho que só tem o pai é conhecida das crianças, mas pode mostrar aos adultos que a superproteção não é o melhor caminho para criar uma relação saudável com as crianças. Nemo se perde de seu pai protetor, e, enquanto ele navega pelos sete mares atrás do filho, o filho elabora suas próprias estratégias para retornar para casa. A ajuda de novos amigos é essencial para que o reencontro aconteça e para que uma nova rotina, muito mais saudável, seja finalmente estabelecida.



À PROCURA DA FELICIDADE Will Smith estreia, ao lado de seu próprio filho, uma história baseada em fatos reais que mostra que um pai faz de tudo para oferecer as melhores condições de vida para seu filho. Passando por problemas financeiros e familiares, o protagonista precisa cuidar sozinho do pequeno Christopher enquanto tenta unir a família novamente e se destacar em um emprego que promete mudar a vida de todos.

Não deixe de proporcionar estes momentos de descanso e diversão para o bebê e para papais e mamães. Deixe seu bebê confortavelmente em seu bebê conforto, relaxe no sofá e boa sessão!


Espero que tenham gostado das dicas.

Grande Beijo, meu e das pequenas.


14 maio 2016

0

O Começo da Vida



Oi Oi Mammys,


O Começo da Vida convida todo mundo a ser um agente de mudança na sociedade: estamos cuidando bem dos primeiros anos de vida, que definem tanto o presente quanto o futuro da humanidade?


Um movimento global a partir de um filme.


O Começo da Vida é um filme que percorre os quatro cantos do mundo para mostrar a importância dos primeiros anos de vida na formação de cada pessoa.


"Licença maternidade não paga é inviável para muitas famílias. É importante, nos primeiros meses, encorajar alguém a ficar com o bebê período integral e a licença maternidade remunerada possibilita isso." (Joan Lombardi – Diretora do The Children’s Project LLC. – Estados Unidos)

A diretora Estela Renner (Muito Além do Peso, Criança, a Alma do Negócio) mostra como os relacionamentos, nesta fase, são fundamentais para cada ser humano se desenvolver. “Os registros emocionais tanto para o bem quanto para o mal têm um peso muito maior neste período, é um momento de formação, de criação, de estrutura da pessoa.”, diz a diretora.

"A criança precisa ser deixada livre para observar, escolher e experimentar as coisas de diversos jeitos. Elas aprendem juntamente com os adultos e com as outras crianças."
(Chiara Spaggiari – Professora em Reggio Emilia – Itália)


Um dos maiores avanços da neurociência nos últimos anos foi a descoberta de que os bebês se desenvolvem não apenas com sua carga genética, mas a partir da combinação entre a genética e as relações com aqueles que os rodeiam. Com base nessa constatação, Estela entrevista especialistas no desenvolvimento infantil e visita famílias das mais diversas culturas, etnias e classes sociais, como a de Gisele Bündchen e de Phula, uma menina indiana que cuida sozinha dos irmãos em uma comunidade em meio a obras em construção.

A estrutura narrativa do filme apresenta o bebê não como uma tábula rasa, mas como um indivíduo competente, capaz de elaborar hipóteses para melhor entender o mundo. E revela seu desenvolvimento por meio de seus relacionamentos primordiais com sua mãe, seu pai, seus irmãos, seus avós, seus cuidadores, e ainda com a natureza, com suas brincadeiras e experimentações, e com as histórias que são contadas a ele.

"Os pais precisam estar presentes para construir vínculos com seus filhos."
(Anna Maria Chiesa – Professora Associada no Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da EESUP – Brasil)


Temas como licença maternidade, o papel do pai, criação conjunta, pobreza, direitos humanos, violência, drogas e abandono são pontuados no decorrer do longa, que se conclui provocando algumas reflexões, dentre elas: o mundo precisa dar condições para que pais possam ser pais.


“Meus filhos não ligam se eu sou importante, ou se ganho dinheiro. Eles só se importam se estou presente. E isso é um ótimo lembrete para a vida.”, conta um pai canadense. Ao mesmo tempo, em depoimento para o projeto, o vencedor do prêmio Nobel de Economia em 2000 James Heckman cita que uma recente pesquisa feita nos Estados Unidos detectou que a cada dólar investido em uma criança, sete dólares são ganhos no futuro através do adulto produtivo, e conclui: “cuidar bem dos nossos bebês é o maior investimento que se pode fazer na humanidade”.

Produzido pela Maria Farinha Filmes (Muito Além do Peso, Tarja Branca, Território do Brincar, Criança, a Alma do Negócio), e apresentado pelas ONGs Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, Bernard Van Leer Foundation, Instituto Alana e UNICEF, o documentário foi filmado no Brasil, China, França, Itália, Argentina, Estados Unidos, Quênia, Índia e Canadá.

O filme estreou nos cinemas do Brasil no dia 05 de maio de 2016.

O filme está disponível nos Cinemas e em exibições públicas gratuitas pelo VIDEOCAMP.

Acesse o site oficial: www.ocomecodavida.com.br - Classificação Indicativa: Livre

O filme é só o começo. Vamos juntos construir uma nova realidade!

Espero que tenham gostado.Grande Beijo meu e das pequenas.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Layout: Prioridade de Mãe/ Designer: Acessórios e Personalizações de Blogs Tecnologia do Blogger | Todos os direitos reservados ©2013